Pessoas generosas são mais felizes, diz pesquisa

A generosidade pode estar mais ligada à sensação de felicidade do que se imaginava. Segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Zurique, na Suíça, a simples promessa ou intenção de ser mais generoso pode resultar em alterações no cérebro que estão ligadas à felicidade.

Segundo a pesquisa, publicada na revista científica Nature, não importa quão altruísta você é, desde que seja mais generoso e não haja pensando exclusivamente no seu bem-estar, mas também em ajudar o próximo.

“Você não precisa ser um mártir, se sacrificar, para se sentir mais feliz. Ser só um pouco generoso é suficiente. É incrível que só a intenção de ser generoso gere uma mudança neural antes mesmo de ação acontecer”, disse o cientista e pesquisador Philippe Tobler, durante o anúncio da pesquisa.

No experimento conduzido por Tobler e outros pesquisadores, uma quantia de dinheiro foi prometida para 50 participantes, divididos em dois grupos: um que teria que gastar o que recebeu em outras pessoas e outro que usaria o dinheiro em benefício próprio.

Aquelas que prometeram ser generosas e gastar o dinheiro com os outros em vez de si mesmas, por exemplo, apresentaram uma ativação na “área altruísta” do cérebro, o que foi percebido com a ajuda de ressonâncias magnéticas, que por sua vez, teve uma interação intensa com a parte associada com a felicidade.

Os cientistas indicaram que pretendem continuar o estudo para entender como a comunicação entre as áreas do cérebro pode ser treinadas e reforçadas e se as pessoas só são generosas para se sentirem felizes.

O livro “O poder curativo de fazer o bem”, escrito pelo americano Allan Luks, ex-diretor do Instituto para o Avanço da Saúde de Nova York, baseado em pesquisas científicas, aponta uma clara relação de causa e efeito entre ajudar os outros e ter boa saúde.

Relatos de participantes das pesquisas apontam aumento da sensação de bem-estar após realizar ações filantrópicas, redução nos níveis de estresse e maior equilíbrio emocional. Problemas como úlceras, insônia, dor de cabeça e resfriados constantes também melhoraram após o ingresso no mundo das boas ações.

A reportagem completa, com belos exemplos capixabas de solidariedade, você confere na edição deste domingo (16) do jornal A Tribuna.

Reportagem: Rayza Fontes

'



  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *