Search
segunda-feira 20 novembro 2017
  • :
  • :

Campanha do Inmetro alerta sobre risco de queda de móveis sobre crianças

Precisamos falar sobre a segurança de nossos filhos! A coluna de hoje vai tratar dos perigos que estão na nossa cara e as vezes nem percebemos, até que algo aconteça. O Inmetro lançou na semana passada, entre os dias 6 e 10 de novembro, uma campanha extremamente importante e com números alarmantes. Tenho certeza que assim como eu, você vai ficar impressionado com a quantidade de acidentes envolvendo crianças que acontecem todos os dias dentro de nossas casas, devido à queda de móveis sobre elas.

 

Aqui, inclusive, já aconteceu um. Quando o Bernardo tinha em torno de 5 anos se pendurou no aparador da sala onde ficava a TV. O móvel tinha base de madeira e tampo de vidro e com a estripulia, virou sobre ele. Graças a Deus, por um milagre, ele não teve nenhum arranhou, só o tampo que se quebrou em mil pedacinhos e a TV, que ainda existe, ficou com uma marca eterna na tela (acho que pra me lembrar diariamente do acidente).

 

No dia eu não estava em casa e quando cheguei, só de me descreverem a cena fiquei com as pernas bambas. O menino deitado no chão, com vidros em volta e a TV exatamente acima da sua cabeça. Se ele tivesse um centímetro a mais e eu não gosto nem de imaginar o que poderia ter ocorrido. Com este episódio, pude constatar na prática que com criança não se brinca quando o assunto é segurança.

Basta um segundo de distração para algo grave acontecer.

 

Ao ter acesso a pesquisa realizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), criadora da campanha, e que reúne os órgãos regulamentadores dos países referência em segurança infantil, como Estados Unidos, Canadá e os que formam a União Europeia, percebi que o acidente aqui de casa se enquadra exatamente na faixa etária que mais acontece. Segundo os dados, uma criança morre­ nos EUA a cada duas semanas quando uma TV, um móvel ou um eletrodoméstico cai sobre ela. As vítimas são: 8% entre 0 e 1 ano; 27% entre 1 e 2 anos; 24% entre 2 e 3 anos; 29% entre 3 e 5 anos e 10% entre 5 e 9 anos.

 

No Brasil o Inmetro realizou uma pesquisa entre os meses de julho e agosto de 2017 para mapear este tipo de acidente e concluiu, que dos entrevistados: 93% já viram ou tomaram conhecimento de casos de crianças escalando móveis. Entre estes, 77% afirmou saber de crianças que sofreram acidentes porque o móvel ou a TV tombou sobre elas. Em relação as lesões causadas pelos acidentes, 43,1% são leves e 21,2% são graves ou fatais, o que reforça a necessidade e importância da campanha (que conta com a adesão de 19 países) e que juntos pretendem conscientizar e alertar pais, responsáveis, classe médica e instituições de ensino sobre um risco que pode ser desconhecido para muitas pessoas.

 

Como forma de orientação, o Inmetro preparou dicas de segurança que todos nós devemos aderir. São elas:

•  Fixe na parede ou no chão os móveis que corram o risco de tombar, como estantes e cômodas.

•  Coloque a TV num móvel robusto e estável, adequado para suportar seu tamanho.

•  Prenda a TV ao móvel com abraçadeiras para evitar que o aparelho deslize e, para garantir a segurança, afixe-a à parede.

•  Ao afixar TVs de tela plana diretamente na parede, num painel ou num móvel, siga as instruções do fabricante para garantir que elas estejam presas de forma segura.

•  Se você tem em casa algum aparelho de TV de tubo de grande porte, coloque-a num móvel baixo e estável. Caso não o utilize mais, considere reciclá-lo.

 

E caso já tenha acontecido algum acidente do tipo na sua casa, assim como aqui, faça o relato no site (www.inmetro.gov.br/sinmac). Eu vou lá agora contar o meu caso e também tentar aplicar as medidas de segurança sugeridas. Tudo pelos nossos filhos, não é?! Vamos todos aderir à campanha e utilizar a hastag #fixaí ao compartilhar os posts sobre o assunto. Quanto mais gente tiver acesso, melhor. Até a próxima!




  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *