Search
terça-feira 22 agosto 2017
  • :
  • :

Carga que caiu de navio é saqueada no mar

Carga que caiu no mar é saqueada. Foto: reprodução

Carga que caiu no mar é saqueada. Foto: reprodução

Contêineres carregados de mercadorias caíram no mar na baía de Santos, São Paulo, nesta sexta-feira (11), e várias pessoas aproveitaram para saquear a carga, que continha eletrônicos, eletrodomésticos, pneus de bicicleta e vestuário. Pelo menos 11 pessoas foram detidas em flagrante pelo saque.

Segundo a Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP), caíram 45 contêineres do navio Log In Pantanal entre 1h30 e 3h. Neste momento, a embarcação aguardava para realizar manobra de entrada no Porto de Santos, a cerca de 4 km da costa.

Um inquérito da autoridade marítima investiga o que causou o incidente. No entanto, há suspeita de que as ondas com mais de três metros, devido à ressaca, tenham contribuído para a queda.

Após a queda, moradores da região foram vistos saqueando os contêineres, que ficaram boiando entre Santos e Guarujá. Eles utilizaram pequenas embarcações, em que colocaram vários produtos.

Pessoas foram detidas por equipes do Patrulhamento Marítimo da Polícia Militar Ambiental e do Núcleo Marítimo da Polícia Federal. Alguns detidos alegaram que “pegaram as peças boiando no mar”. A maior parte dos flagrantes ocorreu com ocupantes de embarcações nas proximidades da comunidade de Santa Cruz dos Navegantes. Outro grupo foi detido ao desembarcar na Praia do Guaiúba.

Nove pessoas foram encaminhadas à Delegacia Sede de Guarujá e duas para Delegacia da Polícia Federal em Santos, para apreciação da autoridade policial.

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) foi notificada sobre a ocorrência e monitora junto com a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) os procedimentos adotados para retirar os contêineres da água. O Ibama ainda não se pronunciou sobre o ocorrido.

A Codesp confirmou que o acidente ocorreu durante a madrugada, no Fundeadouro 3, fora do cais. Ainda em nota, a estatal disse que a autoridade marítima, com o apoio da Praticagem de São Paulo, faz o levantamento para identificar a área onde os contêineres se espalharam.




  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *