Search
sábado 21 outubro 2017
  • :
  • :

“Ele está muito feliz porque sobreviveu”, diz mulher de major ferido em acidente na BR-101

Shuana Louzada Cypriano Simas

Shuana Simas acompanha o marido, o major Simas, no Centro de Tratamento de Queimados do Vitória Apart. Foto: Luciana Pimentel

“Sou grata a Deus pelo livramento diante de uma tragédia tão grande”. Emocionada, a pedagoga Shuana Louzada Cypriano Simas, 36 anos, mulher do major Anderson Simas, 44, um dos cinco feridos no engavetamento na BR-101, em Viana, agradeceu pela vida do marido.

No acidente, que aconteceu às 11h50 de quarta-feira (11), envolveu seis carros de passeio, duas carretas e um caminhão. Quatro pessoas morreram, três delas carbonizadas.

A pedagoga conversou com a reportagem de A Tribuna no Centro de Tratamento de Queimados do Vitória Apart Hospital, na Serra. Segundo ela, o marido fala para todas as pessoas que “ele está muito feliz porque sobreviveu”.

A Tribuna – Qual é o estado de saúde do major Simas?

Shuana Simas – Ele está fora de risco, tem algumas fraturas no corpo e estamos aguardando para ver se ele vai precisar operar. Ele apresenta queimaduras em 12% do corpo, mas não tem dano neurológico. Ele está consciente desde a batida.

Ele lembra do acidente?

Sim, ele lembra como tudo aconteceu. Disse que foi o primeiro carro que o caminhão atingiu e ele viu o caminhão “crescer” em cima dele. Ele tomou uma pancada grande no rosto. Com a batida, o carro ficou imprensado no gelo baiano, então ele não conseguia sair do lado esquerdo. Por sorte, ele não estava com o ar condicionado ligado e foi a salvação dele, porque em função disso o vidro estava aberto, e ele conseguiu sair.

O carro já pegava fogo?

Sim, ele já estava no meio do fogo, todo machucado. Soltou o cinto onde fica a munição, a algema e a pistola, soltou a arma, porque sabia que a pistola poderia deixá-lo preso à janela, e já saiu rolando. Tem até filmagens dele em pé, mas ali era Deus sustentando ele.

Como soube do acidente?

Eu recebi a notícia por meio de um cabo da PM que me conhece e me perguntou para saber se era verdade. Nessa hora eu ainda não sabia de nada, liguei para ele, na sequência liguei para o comandante dele.

Depois de mais um tempo, recebi ligação dizendo que ele já estava sendo atendido.

Qual é o seu sentimento com relação ao que aconteceu?

Sou grata a Deus pelo livramento, pela vida dele preservada diante de uma tragédia tão grande. A fala dele é que agora tem mais um aniversário para comemorar.

 

A reportagem completa sobre o acidente você lê na edição desta sexta-feira (13) do jornal A Tribuna.




  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *