Search
domingo 17 dezembro 2017
  • :
  • :

EXCLUSIVO – “Temer gastou fortuna para se salvar”, afirma o ex-presidente Lula

Petista chega a Vitória em caravana que já percorreu Nordeste e Minas Gerais. Foto: Mateus Bonomi/AGIF

Depois de passar pelos nove estados do Nordeste e por Minas Gerais, seguindo no ritmo da composição de Geraldo Azevedo, “corra não pare, não pense demais, repare essas velas no cais que a vida é cigana, é caravana”, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) chega ao Espírito Santo nesta segunda-feira (04).

Em entrevista exclusiva ao Jornal A Tribuna, Lula criticou as reformas trabalhista, da Previdência e afirmou que o presidente Michel Temer (PMDB) “gastou fortunas para se salvar de duas denúncias no Congresso”, quando foi acusado pela Procuradoria-Geral da República pelos crimes de corrupção passiva, na primeira denúncia, além de obstrução à Justiça e organização criminosa, na última.

O petista falou, também, sobre o cenário para as eleições gerais do próximo ano, defendeu sua inocência nos processos dos quais é réu nas investigações da Operação Lava a Jato, além de ter revelado o que faz em suas horas vagas.

A Tribuna – Como presidente, o senhor adiantou os royalties do petróleo ao Estado. Mais recentemente, um pedido de homenagem ao senhor foi barrado na Assembleia capixaba. Como vê esses dois momentos?
Lula – Nunca fiz política, nem para o Espírito Santo nem para nenhum lugar, para receber homenagem, e sim para melhorar a vida do povo. A Assembleia é soberana. No meu governo, adiantei os royalties porque era importante para o Espírito Santo. Atendi todos os governadores bem, independente do partido, porque representavam os cidadãos dos seus estados.

Hoje, a disputa política se tornou muito exagerada. Plantaram o ódio para dar um golpe na vontade do eleitor. E não vai ser o ódio que irá consertar o Brasil.

Primeiro, não aceitaram o resultado eleitoral de 2014. Parte da classe política e dos meios de comunicação enganaram muita gente dizendo que a vida ia melhorar tirando uma presidente eleita e honesta.

E agora é o povo, em especial o povo trabalhador, que está pagando esse pato: corte de direitos trabalhistas e na Previdência, redução dos investimentos na educação e na saúde, aumento absurdo do gás de cozinha. Estão percebendo que muitos dos que atacavam o PT tinham, na realidade, objetivos contra os trabalhadores e os mais pobres.

Houve pressão de correntes do PT pela saída do partido da base de apoio do governo Paulo Hartung. Como é a relação do senhor hoje com o governador? Ele seria um bom vice na disputa presidencial?
Faz tempo que eu não converso com o governador Hartung, mas, quando ele era governador e eu era presidente, tivemos uma boa relação. A definição de um vice é uma discussão complexa que cabe a cada candidato.

Não teme ser preso e ficar inelegível ano que vem?
Qualquer cidadão que lê o processo, vê que eu não cometi crime nenhum. A sentença do (Sérgio) Moro é incapaz de apontar qualquer ato de corrupção meu. Depois de tudo isso, ele não consegue dizer o que eu teria feito de errado. E reconhece que a propriedade do apartamento é da OAS, tanto que teve que tirar o apartamento da massa falida da empresa. E ainda disse no recurso que não tinha dinheiro desviado da Petrobras.

Eu tenho minha vida investigada há 40 anos, reviraram a minha casa, a dos meus filhos e não acharam um real. Eles poderiam ter pedido desculpas. Mas já tinham aparecido no Jornal Nacional, em filme, e não podiam voltar atrás.

O partido que define quem é o candidato ou quem ele irá apoiar. Eu não queria mais ser candidato, mas com tudo que eles vêm fazendo no País, desmontando políticas sociais, vendendo o patrimônio nacional, retirando verbas da saúde e educação, acabando com programas de apoio à agricultura familiar, agora eu quero sim ser presidente, para provar, de novo, que esse País tem jeito.

É preciso dar oportunidades para qualquer criança estudar e alcançar todo o seu potencial, se alimentar e ter uma vida digna. Esse era o rumo em que o Brasil estava, o rumo que ganhou quatro eleições.


Como o senhor analisa a pré-candidatura de Jair Bolsonaro (PSC), a saída de Luciano Huck e a consolidação do nome de Geraldo Alckmin (PSDB) como candidato ao Planalto?

Eu sou a última pessoa que posso questionar a vontade de alguém querer ser candidato a presidente da República, porque eu fui várias vezes, perdi 3 eleições antes de ganhar em 2002. Quem quiser, que se apresente para o debate.

Estão procurando um candidato para defender o governo Temer e fingir que é o novo sendo o velho.

O senhor acredita que o atual governo conseguirá aprovar a reforma da Previdência?
Os mesmos que hoje querem a reforma da Previdência, para sabotar a Dilma, aprovaram em 2015 o fim do fator previdenciário.

Agora, o Temer gastou fortunas para se salvar de duas denúncias no Congresso. O governo está propondo uma isenção bilionária para as empresas estrangeiras que vão explorar o pré-sal. E a reforma trabalhista vai reduzir o ganho do trabalhador e, por consequência, a arrecadação da Previdência.

É preciso fazer mudanças na Previdência e eu mesmo fiz em 2003. O que estão propondo não é uma reforma, é uma demolição.

O presidente Temer teria musculatura para concorrer ou apoiar um candidato de peso na eleição presidencial?
Vamos ver. Acho que o Temer tentará, sim, construir uma candidatura até a eleição. O importante é o povo poder decidir livremente.

Fora da política, o que o cidadão Luiz Inácio gosta de fazer nas horas vagas?
Nos fins de semana, eu gosto de assistir a futebol, tanto o brasileiro, onde tive o prazer de ver o meu Corinthians ser campeão, como também gosto de acompanhar os campeonatos europeus. E toda a manhã, 5h30, faço meu exercício: caminhada, musculação, perna, braço. Eu não tinha antes o hábito do exercício físico. Mas nos últimos anos tenho me cuidado mais.

 

Reportagem: Gleberson Nascimento e Brunella França




  • 2 thoughts on “EXCLUSIVO – “Temer gastou fortuna para se salvar”, afirma o ex-presidente Lula

    1. gladson santos

      companheiro, o temer tá lá gastando a vontade, cometendo crimes e mais crimes contra a democracia, porque o lula com seus senadores e deputados não impetram uma ação nas justiça ou falem abertamente o que está se passado, o que nos vemos na tv senado e tv câmara, são discursos evasivos sem fundamentos, sem indícios de provas, deputados e senadores podem investigar, requerer documentos, propor ação, fazer vistorias e auditagens e não fazem porque são da coalisão…… o lula tai não sabe nem se defender tem de pedir aos outros que o defenda,, como é que diz saber governar, só urso de minissaia.

      responder

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *