Search
domingo 19 novembro 2017
  • :
  • :

Ideias de famílias para educação

Gustavo e Kamilla com os filhos Gabriel e Helena, que seguem um calendário de obediência, criado pela própria família. Foto: Kadidja Fernandes

Gustavo e Kamilla com os filhos Gabriel e Helena, que seguem um calendário de obediência, criado pela própria família. Foto: Kadidja Fernandes

Apesar da evolução da ciência e da tecnologia, os filhos não vêm com manual de instruções de como criá-los para serem adultos bem-sucedidos, felizes e educados. No entanto, com estudo, criatividade e muita sensibilidade, famílias estão elaborando métodos cada vez mais inovadores para educar os filhos.

Calendário da obediência, contrato de tarefas, roda de debates e outras técnicas estão entre as usadas
pelas famílias da Grande Vitória. Na casa da psicóloga Kamilla Diniz , 34, e do veterinário Gustavo Diniz, 39, o que tem dado certo na criação dos pequenos Gabriel Diniz, 6, e Helena Diniz, 5, é o calendário de tarefas e obediência. “O calendário funciona assim, no início do mês escrevemos os combinados dia a dia e anotamos qual vai ser a recompensa. Todos os dias verificamos o que foi cumprido, se teve um bom comportamento ganha estrela, se não teve não ganha nada. Se fez além do esperado ganha um adesivo extra”, explicou a mãe.

Na casa do servidor público Ademir Pereira, 47, a forma de cumprir as regras foi descrita em um “contra to” assinado por ele e pela filha Rayssa Pereira, 10. “Nosso ‘contrato’ é parecido com o documento oficial. E, enquanto estiver sendo positivo e eficaz para nosso relacionamento e vivência, vou continuar”, disse o pai.

De acordo com a psicóloga Rosalina Barros, o método ideal é aquele que deixa os pais mais presentes na vida dos filhos. “Os pais são os primeiros educadores, pois cabem a eles a função de ensinar as práticas que, no meio social, são consideradas corretas.”

Para a psicóloga Nanda Perim, é importante os pais terem ferramentas para quando não souber o que fazer. “Vejo muitas famílias preocupadas com dar limites. Mas vejo crescendo o número de pais preocupados com a criança ser feliz e ser uma boa pessoa no mundo. Acredito que os maiores exemplos de pais são aqueles que admitem que erram, mas destacam que estão fazendo o melhor para seus filhos”.

A pedagoga Valéria Geada conta que a criação pode ser difícil para os pais, mas é preciso ficar atento a um ponto: o combinado. “A receita é simples! O que deseduca é a inconsistência nas atitudes dos pais.
Quando se mantém combinados, com firmeza e muito amor, não tem como dar errado. Filhos precisam de segurança e proteção dos adultos”.

 

 

AS IDEIAS

Escada da obediência
Com as tarefas de cada criança estipulada, de acordo com a idade de cada um, os pais desenham uma escada na cartolina e cada dia de comportamentobomos filhos sobemum degrau. Ao final da escada, a criança ganha uma recompensa que sempre está relacionada com algo para fazer em família.

 

Método Montessori
O método Montessori defende que as crianças são capazes de aprender sozinhas e devem ser  estimuladas a isso. O papel dos pais é ajudar o filho a fazer sozinho. De acordo com a psicopedagoga Luciana Brites, a casa tem de ser adaptada. Tudo que é de interesse da criança deve estar à disposição dela.

 

Criação com apego
Dar colo, acalentar na hora do choro e dar atenção são alguns pontos defendidos pelo método da Criação
com Apego. Os pais que praticam esse método dizem que o principal objetivo é criar vínculos com seus filhos, por meio do atendimento consistente e amoroso das necessidades do bebê e da criança pequena.
É preciso aprender a compreender essas necessidades.

 

Criação de escuta ativa
O principal objetivo deste método é orientar os pais a se abaixarem quando têm que ter uma conversa
com seu filho. É o método praticado pelo príncipe William com seus filhos George e Charlotte. Ele proporciona as crianças um sentimento de segurança e de que são queridos. E ajuda os pais a compreenderem as birras.

 

Técnica Pam Pam Pam
É uma técnica  usada para as leituras em família. Durante a história, lida em voz alta, os pais introduzem
momento de melodia para que a criança possa olhar as ilustrações da história e despertar curiosidade para a própria página.

 

Roda de conversas
Pode ser aplicada para filhos de qualquer idade. A família separa um momento, diária e rotineiramente,
para conversar sobre qualquer assunto. Saber como foi o dia de cada um e propor soluções para os  problemas do outro. Isso ajuda a criar vínculos e ensinar valores.

 

Alfabetização emocional
Os pais aprendem e ensinam como reconhecer os sentimentos quando eles aparecem. O choro, a voz alta, sorriso de alegria são códigos para entender o que acontece.

 

Plano de Utilização de Mídias

Os pais, juntos aos  filhos, estabelecem regras para serem utilizadas dentro de casa, a exemplo de onde
não pode usar o celular, quanto tempo ficar no tablet ou o horário limite. As regras estão escritas, assinadas e expostas em casa.

 

Disciplina Positiva
Esse método estabelece regras e limites para a criança, mas contando com a participação dela, promovendo a autonomia e eliminando os castigos tradicionais. Deixar claro que a última palavra será dos pais e fazer com que os pais se coloquem no lugar dos filhos são alguns dos exercícios propostos.

 

Cama compartilhada
É uma técnica que as famílias adotam com bebês ainda recém-nascidos, onde mãe, pai e filho dormem  todos na mesma cama. Isso ajuda a criar vínculos com a família, ajuda na rotina e os pais a entenderem as emoções do bebê. É uma tática polêmica que traz contradição entre estudiosos.

 

Lições de Laura Gutman
A psicopedagoga argentina Laura Gutman defende que a criação não precisa de nada além de amor, que as crianças pedem apenas aquilo que elas necessitam. Segundo os pais que usam a técnica, não existe uma criação saudável com frustração e com excesso de limites.

 

Calendário de tarefas
A família senta e juntos, no início do mês, escrevem as tarefas a serem cumpridas dia a dia, anotando qual vai ser a recompensa em cima do calendário caso tudo seja cumprido. A cada dia cumprido a  criança ganha um adesivo e se for além do esperado ganha adesivo extra. Ao final do mês, se na maioria dos dias tiver estrelas, o filho ganha a recompensa, que é sempre algo para dividir ou compartilhar com a família.

 

Wi-fi limitado
Uma técnica que se espalhou nas redes sociais na qual os filhos só podem ter acesso à senha da internet
em casa depois de cumprirem todas as tarefas diárias propostas, como fazer o dever de casa, arrumar o
quarto, entre outras.

 

Dramatização dos Sons
É usado para ajudar as crianças em alfabetização. Os pais ensinam os sons das letras usando a dramatização. A ideia é que diariamente, durante a brincadeira, o pai utilize a dramatização de uma história para ensinar o som de uma letra.

 

Pedagogia Waldorf
É um método que mescla o aprendizado das competências curriculares com outras inteligências, como
por exemplo, ensina matemática com atividade artística. Fornecer às crianças e aos jovens inspiração
através de seu melhor rendimento.

 

Contrato
A família senta  para definir regras, punições e bonificações para os filhos e tudo isso fica descrito em um
contrato com cláusulas como em um contrato de verdade.

 

 

Sem televisão em casa

Letusa Naese, 42, e Eduardo Naese, 46, com a filha. Foto: Kadidja Fernandes

Letusa Naese, 42, e Eduardo Naese, 46, com a filha. Foto: Kadidja Fernandes

A arquiteta Letusa Naese, 42, e o artista plástico Eduardo Naese, 46, conhecido como Did, escolheram o método montessoriano para criação da filha Sofia Naeses, 3. Eles adaptaram a casa e até a família para melhorar a educação dela.
Sofia não assiste a TV, não tem eletrônicos e, por escolha da família, não come carne ou doce. “Como
não tem TV, ela se movimenta pela casa e está sempre ativa e vai ganhando autonomia de acordo com o
amadurecimento”, destacou o pai.

 

 

 

Lições inspiradas em educadores

A criação é um grande desafio para os pais. Mas, para ajudar no desempenho da tarefa, muitos recorrem a lições de psicólogos, filósofos e educadores famosos para inspirar métodos a serem aplicados em casa.
Montessori, Laura Gutman, Jean Piaget e Lev Vygotsky são alguns dos exemplos de estudiosos em aprendizagem que ajudam os pais na criação dos pequenos.

Mesmo não sendo da área, Eduardo Zambon Naese, 46, conhecido como Did, faz cursos e leu muito sobre métodos de educação, mesmo antes da sua filha Sofia Nobrega Naeses, 3, nascer, quando sua mulher, a arquiteta Letusa Nobrega Naese, 42, estava grávida. “Quando minha mulher estava grávida li muito sobre parto humanizado e comecei a me interessar por métodos de educação. Hoje, usamos o método montessoriano. Fiz cursos para saber mais sobre o assunto e desenvolver melhor a técnica em casa na educação da Sofia”, contou o pai.

Quem também buscou informações e se inspirou em estudiosos para a criação dos filhos, Théo Perim,
3, e Gael Perim, 1 ano, foi a psicóloga Nanda Perim, 29. “Hoje priorizo usar a comunicação e a empatia na criação dos meninos. Leio todos os métodos que consideram a criança como protagonista da infância: o quarto dos meninos é montessoriano, educamos com a Disciplina Positiva, dormimos na cama compartilhada e seguimos a prioridade na comunicação clara e verdadeira de Laura Gutman”.
Segundo ela, a escolha dos métodos é sempre objetivando que eles sejam adultos com empatia, que se
conhecem bem e tenham bom relacionamento consigo mesmos, sejam pessoas seguras e confiantes.

De acordo com a psicóloga e coach de mães Aline Gomes, a preparação e estudo dos pais é importante.
“Há cursos, livros, rodas de pais. Contudo, a melhor preparação é o autoconhecimento. Assim entendemos o porquê de agirmos como agimos. Com autoconhecimento a gente compreende quando repete aquela mania da mãe que sempre prometemos a nós mesmos não fazer igual”, destacou.
A terapeuta e consteladora familiar sistêmica, Grazieli Marchito acredita que o método tem de respeitar
a hierarquia e receber aquilo que os pais podem dar, como mostrou Bert Hellinger, o criador
das Constelações Familiares.

 

Rodas de debates em casa

 

A empresária Karla Burguignon, 42, e do policial Maurício de Souza, 44. Foto: Antonio Moreira

A empresária Karla Burguignon, 42, e do policial Maurício de Souza, 44. Foto: Antonio Moreira

Afeto e muito amor não faltam na casa da empresária Karla Burguignon, 42, e do policial Maurício de
Souza, 44. São duas moças que consideram o padrasto como um tio, as universitárias Kamilla  Bourguignon, 19, Karollina Bourguignon, 17, e o pequeno Kauã Bourguignon Machado, 3 anos, filho do casal.

E apesar da grande diferença de idade entre os irmãos, de acordo com Karla, um dos segredos é a roda
de debate diária que tem em casa. “Saímos todos juntos para qualquer tipo de atividade, não tem essa
de que filhos adultos não podem acompanhar e conversamos sobre tudo”, revelou a mãe.

 

Incentivos às boas tarefas

Os empresários Mary Capeleti, 38, e Adriani Capeleti, 40, com os filhos. Foto: Lanne Varejão

Os empresários Mary Capeleti, 38, e Adriani Capeleti, 40, com os filhos. Foto: Lanne Varejão

Faz o melhor nas tarefas do dia a dia é o principal na casa dos empresários Mary Capeleti, 38, e Adriani
Capeleti, 40. No entanto, quando as filhas Adriely Capeleti, 13, e Ana Flávia Capeleti, 6, fazem melhor do que o esperado, os pais costumam dar incentivos, como passeios em família, algo que elas queiram muito. “Mas, se fizerem algo errado, também perdem algo que gostam. A relação em casa tem sido muito boa. Temos diálogo sempre aberto para falar o que quiserem”, disse a mãe.

 

 

 

Lorrany Martins




  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *