Search
terça-feira 19 setembro 2017
  • :
  • :

Novas exigências no futebol: Técnicos com a corda no pescoço

Fabio Carille é um dos 10 treinadores da Série A que são licenciados e que atenderiam os critérios da CBF a partir de 2019. Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Os resultados em campo deixarão de ser uma das grandes ameaças aos técnicos da Série A do Brasileirão. O novo grande vilão atende pelo nome de Regulamento de Licença de Clubes, instituído pela CBF neste ano e que prevê que a partir de 2019 os técnicos da elite deverão possuir a Licença A ou Pro, oferecidas pela entidade, para trabalhar.

Se a regra já estivesse em vigor, apenas 10 dos atuais 20 treinadores do Brasileirão teriam condições de comandar os times, de acordo com levantamento apontado pela própria CBF.

Comandantes de Atlético/GO, Atlético/MG, Avaí, Bahia, Botafogo, Chapecoense, Corinthians, Flamengo, Vasco e Vitória/BA já concluíram ou estão em fase final de conclusão dos cursos.

“Fiz questão de fazer todos os cursos. Não podemos simplesmente parar no tempo. Temos que buscar o que há de melhor”, afirmou o técnico do Corinthians, Fábio Carille, líder do Brasileirão.

Desde 2009 no Corinthians, o treinador ilustra uma tendência no futebol brasileiro. Ex-jogadores (Carille atuou como zagueiro e lateral-esquerdo, tendo passagens no Timão e Paraná) que, ao se aposentarem, estão buscando a formação para exercer a profissão.

Para ele, alinhar o trabalho em campo à especialização e à formação acadêmica é um dos segredos para o momento vivido pelo Corinthians – invicto, com oito pontos de vantagem na liderança e aproveitamento de 85,7%.

“Acho que foi vital. Não cheguei ao Corinthians pronto, fui aprendendo, me especializando. Vivenciei, sim, muita coisa, mas fui aprender. Como Tite fez. Os resultados vieram em paralelo com isso, não foi à toa. Novamente, penso que (o curso) foi vital na carreira”.

Licenciamento

Os cursos de licenciamento (Pro, A, B e C) são oferecidos pela CBF desde 2015. Em 2009, a entidade passou a reconhecer formações equivalentes oferecidas por outras instituições.

Também são oferecidas capacitações como preparação física, de goleiros e análise de desempenho. A expectativa é certificar mais de cinco mil profissionais até 2020.

Coordenador dos cursos da entidade, Maurício Marques prevê que até dezembro deste ano treinadores das Séries A e B estarão envolvidos nos cursos. E garante: a CBF não vai impedir que nenhum técnico exerça a função.

“Não tem como prever quando estarão qualificados, mas em dezembro, os 40 das Séries A e B estarão no processo. Tenho certeza de que nenhum técnico vai ser cerceado de continuar trabalhando, não temos essa intenção”, comentou Maurício.

Os treinadores da “velha guarda” deverão ser incluídos no processo, com licenças especiais e na função de instrutores.

“Há uma licença honorária que será entregue a treinadores acima de 60 anos que tenham mais de 20 anos na função. A gente quer que eles contribuam”, explicou.

Reportagem de Felipe Pacheco, publicada na edição desta segunda-feira (17) em A Tribuna




  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *