Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

PT quer avançar para além das fronteiras
Painel da Folha de São Paulo

PT quer avançar para além das fronteiras

O PT vai aproveitar a fenda aberta no coração da Lava a Jato pelas revelações do site The Intercept Brasil para tentar ampliar o movimento político de questionamento dos métodos da operação. A cúpula da sigla atuará em etapas. Nesta terça (11), age para unificar o discurso dos demais partidos de esquerda. Em seguida, quer atrair os de centro. Sem prejuízo ao mote "Lula Livre", a ideia é discutir o caso sob o foco jurídico, como ataque ao Estado Democrático de Direito – e não só aos seus quadros.

Jogo de xadrez - Houve forte movimentação nos bastidores para convencer a cúpula do PT de que não é hora de fazer da fissura na imagem da Lava a Jato uma espécie de plebiscito sobre a condenação de Lula. O próprio ex-presidente mandou recados pedindo cautela e pensamento estratégico.

Tiro de canhão - Líderes petistas deram ordem para que nenhuma iniciativa isolada fosse tomada no Judiciário ou em órgãos como o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Pedido semelhante foi feito aos juristas que colaboram com a sigla. A ideia é promover ações incisivas, de impacto, e não pulverizar as investidas.

Basta - Membros do Supremo e do Superior Tribunal de Justiça (STJ)  passaram a noite desse domingo (9) e todo o dia desta segunda (10) discutindo as implicações do material do The Intercept. Na avaliação de ministros, para o universo jurídico, uma confirmação do que veio à tona seria "a pá de cal moral no veredito de Lula".

Mau caminho - Um integrante do Supremo Tribunal Federal (STF) diz que a lei é clara ao vedar orientação do magistrado às partes e que, pelas mensagens, Sérgio Moro teria direcionado o trabalho dos procuradores em ao menos dois momentos – o mais explícito deles foi ao supostamente indicar uma fonte à acusação.

Duplo grau - Os ministros do Supremo também especularam sobre eventual consequência das revelações na condenação de Lula. Uma ala argumenta que uma mudança é pouco provável, porque as penas impostas por Moro foram referendadas pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Maçã podre - Outro grupo, porém, avalia que, confirmado o teor das mensagens, será possível afirmar que Moro direcionou a ação da procuradoria desde a investigação, o que comprometeria o processo.

Todo mundo em pânico - Advogados que negociaram delações com as forças-tarefas de Curitiba e do Rio relataram temor de terem suas conversas divulgadas.

Magoei - Não agrada à equipe econômica a saída política encontrada para viabilizar a liberação de crédito extra ao governo. O pedido foi de R$ 248 bilhões, mas o Congresso só deve autorizar R$ 146 bilhões. O restante será coberto com lucro do Banco Central (BC).

Magoei II - O arranjo diminui a autonomia na gestão do Orçamento. O dinheiro do BC, por exemplo, poderia ser poupado para 2020 ou ainda para cobrir a parte do débito do BNDES, que resiste em devolver os R$ 126 bilhões da União pedidos pelo ministro Paulo Guedes (Economia).

SOS - O governo precisa da aprovação do crédito para tomar dinheiro emprestado e pagar, já no fim deste mês, despesas como aposentadorias e benefícios sociais. Sem esse endosso, não poderá fazer a operação. A situação é emergencial, na visão do Tribunal de Contas da União (TCU).

Meu jeito - Conduzido à presidência do PSL de São Paulo sob protesto de uma ala da sigla, Eduardo Bolsonaro ameaçou deixar a legenda caso fosse obrigado a fazer uma composição com seus adversários internos. O presidente nacional da legenda, Luciano Bivar (PSL-PE), que trabalhava por um acordo, achou melhor desistir para não melindrá-lo.

Diga ao povo que fico - O deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (SP) sugeriu que Bivar, alvo de suspeitas do uso de laranjas na campanha de 2018, se afastasse da presidência do PSL. O pernambucano ouviu o conselho, mas declinou. A cúpula do partido diz que ele ainda tem apoio da maioria da bancada.

Visita à Folha - Abilio Diniz, presidente do conselho de administração da Península Participações, visitou a Folha nessa segunda-feira, onde foi recebido em almoço. Estava acompanhado de Fernanda Viola, gerente de Comunicação da empresa, e Sérgio Malbergier, consultor de comunicação.

Tiroteio
"O caso se reveste de extrema gravidade uma vez que compromete princípio fundamental do Judiciário, a imparcialidade."

Do ex-procurador-geral Claudio Fonteles, sobre as mensagens que revelam troca de informações entre Moro e Dallagnol na Lava a Jato.


últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Conversas de Moro serão entregues à ONU

As mensagens trocadas pelo ex-juiz Sérgio Moro e procuradores da Lava a Jato devem compor a última manifestação da defesa de Lula à ONU, entidade na qual o petista questiona suas condenações na …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Acabou a mamata, tá ok?

O presidente Jair Bolsonaro avisou que não vai pegar em armas para voltar a incluir estados e municípios no texto da reforma da Previdência. Ao contrário. Em reunião com a bancada do Podemos, na …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Na ponta do lápis

O grupo de deputados que trabalha pela aprovação da reforma da Previdência começou a mapear o apoio à proposta no plenário da Câmara. Hoje, essa ala prevê contar com o aval de 80% a 85% de cada sigla …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

A força do sangue

A queda do general Santos Cruz e a ascensão de Jorge Antonio de Oliveira Francisco à Secretaria de Governo foi vista por antigos aliados de Jair Bolsonaro como o triunfo do núcleo familiar sobre o …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Todo ponto tem nó

Às vésperas da audiência no Senado, parlamentares receberam um dossiê com casos antigos de Sergio Moro (Justiça). Em um dos relatos, de 2005, um criminoso, Tony Garcia, avisou a Moro que seu gabinete …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Aperto de mãos em favor da Previdência

O ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) fechou acordo para viabilizar a votação da reforma da Previdência na Câmara até a primeira quinzena de julho. O trato foi firmado na residência oficial do …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Governo acelera entrega de cargos para aprovar Previdência

Para cumprir o cronograma dos sonhos do governo, que prevê a votação da reforma da Previdência na comissão especial semana que vem e no plenário da Câmara até a primeira quinzena de julho, a Casa …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Cada dia com sua agonia

Diante dos esforços de aliados para blindar Sergio Moro (Justiça) na audiência no Senado na qual ele vai falar do vazamento de conversas com procuradores da Lava Jato, o PT busca estratégia para …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Atendimento similar ao Mais Médicos pode voltar ao Nordeste

Concluídas as etapas formais para a criação do Consórcio do Nordeste, figura jurídica que une os governos da região, começaram os debates sobre os primeiros planos de ação. Uma das frentes em estudo …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Aos inimigos, a lei

Oito advogados que atuaram em dezenas de casos relevantes para a força-tarefa da Lava a Jato de Curitiba relatam um modelo de relação com o ex-juiz Sérgio Moro muito diferente do que aparece nas …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados